quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

O SEU CLUBE É DINÂMICO?

Um clube dinâmico tem maior facilidade manter estável o quado associativo e de atrair novos associados.

Nada melhor do que aproveitar o final do primeiro semestre rotário para avaliar a situação do clube, seja:

terça-feira, 21 de novembro de 2017

PREPARE-SE PARA O NOVO ANO ROTÁRIO

Dezembro! Ainda faltam 6 meses para o início do novo ano rotário. É muito ou é pouco tempo? É relativo, dependendo do que se pretende fazer em 2018-2019 para que o clube se destaque.

Se ainda não foi realizada, é o momento de se aplicar a PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS ASSOCIADOS para conhecer seus anseios e/ou sugestões de alterações a fim de que possa preparar um plano de ação que se baseie no que os associados gostam, descartando ou modificando os aspectos com os quais não estão satisfeitos.

A leitura do guia LIDERE SEU CLUBE - PRESIDENTE lhe permitirá conhecer mais a respeito de suas responsabilidades na liderança do clube e como preparar o planejamento do ano rotário, estipular as metas para o crescimento do quadro associativo, contribuições para a Fundação Rotária e como o clube poderá ter maior visibilidade na comunidade através de importantes projetos.

Na continuidade leia o guia SEJA UM CLUBE DINÂMICO: SEU PLANO DE LIDERANÇA DE CLUBE  que contém as melhores práticas usadas por clubes eficazes de várias partes do mundo. O plano enfatiza o consenso nas tomadas de decisões, a continuidade na administração do clube e de projetos, e o envolvimento de todos os associados em atividades humanitárias, de companheirismo e de treinamento.

Quem comporá o seu conselho diretor? Quem serão os presidentes das comissões do clube? É fundamental que os convites sejam efetuados um a um, pessoalmente, para que haja identificação entre os objetivos previstos para o ano rotário e a VONTADE DE PARTICIPAR e produzir os resultados esperados de cada uma das comissões/funções. Deixe bem claro que deverão participar da Assembleia Distrital de Treinamento a fim de que sejam devidamente preparados para as funções.

É preciso ficar claro que o presidente do clube é o líder, o motivador, o inspirador. As comissões é que precisam produzir os resultados!

A continuidade administrativa é essencial, devendo haver bom entrosamento entre os dois conselhos - o atual e o de 2018-19. Projetos iniciados e os que sejam de tradição do clube devem ter continuidade. No entanto, é importante analisar se esses projetos são os que a comunidade realmente necessita. Utilize as FERRAMENTAS PARA IDENTIFICAR AS NECESSIDADES DA COMUNIDADE para tal. 

Pense em organizar um NÚCLEO ROTARY DE DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO - NRDC. Através dele você dará a mais pessoas a oportunidade de entrar em ação para resolver problemas da comunidade! 

Não deixe de conversar com os associados mais antigos pedindo-lhes que avaliem quais eram os problemas da comunidade que perduravam há mais tempo e que recursos o clube tinha para resolvê-los.

Verifique com o presidente e tesoureiro atual a situação das mensalidades dos associados e a como estão os registros fiscais obrigatórios.

DICAS:

  1. Verifique quem foi o presidente de seu clube - ou de clubes vizinhos - que teve excelente desempenho durante sua gestão (será seu espelho de cristal). Converse com ele para saber como fez para ter sucesso e tente aplicar sua forma de gestão. É o primeiro passo para o seu SUCESSO!
  2. Prepare os novos líderes de clube:
    • Desenvolvendo metas de longo prazo que incorporem os elementos de clubes eficazes.
    • Elaborando uma definição básica e diretrizes específicas para cada função do clube.
    • Escolhendo mentores.
    • Garantindo a transferência de arquivos de anos anteriores.
    • Planejando reuniões conjuntas antes do início do novo ano rotário.
    • Escolhendo com antecedência os rotarianos para as principais funções nas comissões.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

INCENTIVO EXPANSÃO BRASIL 2017-18

Em 03/08/2017 postei a mensagem abaixo com uma nova abordagem para a criação de Rotary Clubs
no Brasil.

Você já analisou o  FORMULÁRIO AUTO-EXPLICATIVO PARA FUNDAÇÃO DE NOVOS CLUBES ?

Já enviou os dados referentes à primeira etapa ao RIBO ? Ainda não? Então está mais do que na hora de fazer isso, pois o prazo se encerra em 01/dezembro/2017!

Você precisa enviar os dados da primeira etapa do INCENTIVO EXPANSÃO BRASIL 2017-18 até o prazo ou perderá a grande oportunidade de concorrer a a uma viagem, com o cônjuge, para o 41º Instituto Rotary de Fortaleza.

Muitos são os distritos que já cumpriram a primeira etapa; faça você isso também! (não perca a oportunidade de ganhar essa passagem grátis!).

Mostre que o Rotary Faz a Diferença no Brasil!


NOVOS ROTARY CLUBS COM NOVO ENFOQUE

Você já deve estar acostumado a ver clubes serem formados com 20 - 25 associados e, pouco tempo depois, definharem até chegar a um número mínimo de associados, o que não permite realizar projetos na comunidade - isso se não fechar.

A partir deste ano rotário pretende-se, no Brasil, adotar nova estratégia: CRIAR CLUBES COM PROJETOS QUE ATENDAM AS NECESSIDADES DA COMUNIDADE. 

Dessa forma, além de se cumprir o lema deste ano rotário - O ROTARY FAZ A DIFERENÇA - será possível mostrar-se a importância que um Rotary Club e os rotarianos podem fazer nas comunidades.

Assim cada clube que pretende abrir um novo clube deve:
  1. Efetuar levantamento das necessidades da comunidade;
    • Utilizar o guia Comunidades EM AÇÃO - Guia para Desenvolvimento de Projetos – 605-A
  2. Detectar se a necessidade se enquadra em uma das nas seis áreas de enfoque do Rotary;
  3. Elaborar projeto para atender essa necessidade;
  4. Elaborado o projeto, identificar líderes da comunidade que tenham interesse na sua melhoria e:
  5. Orientá-los a respeito do que é o Rotary e os benefícios da instalação de um clube em sua área;
  6. Pedir para que apresente um novo líder com o perfil definido:
    • Profissional que possa ajudar na implementação do projeto;
    • Idôneo;
    • Com condições financeiras para absorver os custos de participação no clube;
  7. Informar, novamente, orientações sobre Rotary, benefícios, responsabilidades, etc., e pedir para que cada um apresente um novo candidato – e assim por diante.
Baixe o FORMULÁRIO AUTO-EXPLICATIVO PARA FUNDAÇÃO DE NOVOS CLUBES e faça a diferença em sua comunidade.


A partir desse ponto seguir o GUIA PARA CRIAÇÃO DE ROTARY CLUBS – 808-PT
.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

GUIA DE RECURSOS DO ROTARY

Algumas vezes podemos ter dificuldades em encontrar determinado assunto no site do Rotary International.

Para facilitar, está disponível o GUIA DE RECURSOS DO ROTARY, um Suplemento ao Manual de Procedimento de 2016.

Através dele você poderá localizar facilmente assuntos vinculados a:

  • Áreas de Enfoque
  • Avenidas de Serviço
  • Clubes
  • Conselho de Legislação
  • Distritos
  • Rotary International e Fundação Rotária
  • Uso e Proteção das Marcas do Rotary
Vide, abaixo, imagem reduzida do guia:

terça-feira, 24 de outubro de 2017

POSICIONAMENTO QUANDO DA EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL

DURANTE A EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL, DEVE-SE VOLTAR PARA A BANDEIRA?

Considerando que várias são os procedimentos quando da execução do Hino Nacional transcrevo, abaixo, alguns pareceres a respeito. Importante lembrar que a Lei 5.700/71 – Art. 30 - que dispõe sobre a forma e apresentação dos Símbolos Nacionais - , não exige que o público se vire para a bandeira, mas sim que tome atitude de respeito, de pé e em silêncio.

1 - CNCP-BRASIL - COMITÊ NACIONAL DO CERIMONIAL PÚBLICODevemos esclarecer primeiramente que a Lei 5.700/71, que regulamenta a utilização dos Símbolos Nacionais (Bandeira, Hino, Selo e Brasão de Armas da República), não expressa qualquer observação nem determina, na realização dos eventos no Brasil, um posicionamento de homenagem de um símbolo para o outro. Nós, cerimonialistas, membros da Diretoria CNCP, consideramos que a ação de cantar o Hino Nacional nas solenidades deve ser traduzida como uma homenagem à Pátria e, tendo em vista que a nossa Pátria está legitimamente representada pelas autoridades e pelo público presente ao evento, não vemos sentido em que autoridades e convidados se voltem para a Bandeira, no momento da execução do Hino. Vale ressaltar ainda que o Hino Nacional não é um hino em homenagem à Bandeira. 

Para uma homenagem à Bandeira, a Lei 5.700 reserva a data de 19 de novembro, denominada o "Dia da Bandeira", em que o hasteamento se dá precisamente às 12 horas, executando-se o Hino à Bandeira. O entendimento equivocado dessa questão tem propiciado a muitos a preocupação de se voltarem para a Bandeira todas as vezes que o Hino Nacional é executado, o que se deve com frequência a alguns cerimonialistas menos experientes que chegam a ponto de orientar a autoridade para assim proceder, induzindo-a a erro. 

A Pátria, repetimos, é representada pelo público como também pelas autoridades. Assim, ignorar a sua precedência sobre qualquer outra simbologia que venha a caracterizar um País, nos parece uma opção pouco coerente.
Comitê Nacional do Cerimonial Público

2 - MANUAL BÁSICO DE CERIMONIAL = Cerimonial – Casa Militar – Gabinete do Governador – Estado de Santa Catarina – item 6 – Hinos – 6.1 - Hino Nacional
  • Em solenidades fechadas, se houver dispositivo de bandeiras, o público não volta-se para as bandeiras durante a execução do Hino Nacional, pois o símbolo cultuado é o Hino Nacional, procede-se de acordo com o Parágrafo Único do artigo 30 da lei nº 5.700 ( já citado no 1º parágrafo deste texto );
  • Em solenidades ao ar livre, em que não houver hasteamento da Bandeira Nacional, ou a Bandeira Nacional já estiver hasteada, o público volta-se para o ponto central do evento ( Ex: Palanque, ponto de concentração das autoridades...). Quando o ponto central for indefinido volta-se na direção da banda de música;
Fonte: http://www.ibam-concursos.org.br/documento/cerimonia-cvj.pdf

3 - Lei 5.700/71 – Art. 30 - que dispõe sobre a forma e apresentação dos Símbolos Nacionais:
"Nas Cerimônias de hasteamento ou arreamento, nas ocasiões em que a Bandeira se apresentar em marcha ou cortejo, assim como durante a execução do Hino Nacional, todos devem tomar atitude de respeito, de pé e em silêncio, os civis do sexo masculino com a cabeça descoberta e os militares em continência, segundo os regulamentos das respectivas corporações."
Parágrafo único: É vedada qualquer outra forma de saudação.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

CRIATIVIDADE NO COMBATE À PÓLIO

O caminho para a erradicação da pólio tem sido longo e difícil. Desde 1985, quando o Rotary abraçou a luta contra a doença, os casos de poliomielite caíram de 350.000 em 1988 para apenas dez este ano. Tal sucesso demandou muito tempo, dinheiro, flexibilidade e inovação dos milhares de voluntários que se dedicaram, e continuam se dedicando, a eliminar a paralisia infantil.

Vejamos então cinco fatos e curiosidades sobre o combate à pólio que talvez você não saiba:

1.     Fabricantes de sorvete da Síria estão congelando pacotes de gelo usados pelos voluntários e agentes da saúde para manter as vacinas na temperatura ideal durante campanhas de imunização.

2.     Celebridades como embaixadores da luta. Temos gente famosa ao nosso lado. A cantora Ivete Sangalo, a modelo Isabeli Fontana, o jogador de futebol Pato, o humorista Renato Aragão, a atriz Rosamaria Murtinho, o cantor Ziggy Marley, o Nobel da Paz Desmond Tutu, a antropologista Jane Goodall e o filantropo Bill Gates são algumas das personalidades que estão conosco, apoiando o fim da pólio.

3.     Voluntários do Rotary e agentes da saúde já subiram montanhas, atravessaram desertos e foram a ilhas distantes, muitas vezes arriscando suas vidas pelo nobre objetivo de imunizar crianças contra a paralisia infantil. O Rotary já financiou o uso de mais de 1.500 motocicletas e 6.700 veículos, além de 17 barcos de grande porte para chegar às populações que precisavam ser protegidas contra o vírus da pólio. Muitos vacinadores viajaram no lombo de burros, elefantes e camelos para atingir áreas de difícil acesso.

4.     Dos cerca de 21.000 vacinadores do Paquistão, 83% são mulheres. Este alto contingente feminino resultou em maior acesso às residências e postos de vacinação, já que as famílias são mais abertas a deixar seus filhos serem vacinados por mulheres do que por homens.


5.     Graças à dedicação do Rotary e dos seus parceiros, mais de 16 milhões de pessoas não ficaram paralíticas e estão vivendo com dignidade. Desde 1988, foram imunizadas mais de 2,5 bilhões de crianças contra a pólio.